Karim Mussi Saffie, um eno-rebel de culto

Karim Mussi Saffie, um eno-rebel de culto

Por  Mariana Gomez Rus

Tradução: Leia Zimmermann

Com quase 20 colheitas  embaixo do braço o “ turco” Karim  ri à toa. Apesar de suas raízes libanesas, Mussi ironiza e, inclusive, brinca com seu apelido tornando-o um nome, um rótulo e um vinho. Corre risco, aproveita as oportunidades, não segue receitas e destaca-se. 

 

A palavra “liberdade” é recorrente quando fala de fazer vinho. Entendendo-a como a capacidade de levar adiante uma elaboração sem restrições, permitindo-lhe a felicidade no momento de fazê-lo, transformando-o em um vinho honesto e original. Acreditando que esse exercício, repetido  colheita após colheita, transforma-se em personalidade, e revela-se na marca do enólogo que o elabora.

Despreocupado e de baixo perfil, Karim Mussi Saffie é um dos enólogos mais prestigiosos que temos em Mendoza na atualidade. Além de trabalhar como enólogo assessor em Alpasion leva as rédeas das suas duas vinícolas: Altocedro ( no Valle de Uco) e Alandes (localizada em Maipu), uma vinícola centenária que, ademais, hospeda a AMP, um bonito casarão onde é possível degustar todos os rótulos que elabora Karim, e a oportunidade de aprender de vinhos e terroirs de maneira coloquial e divertida.

Karim Mussi se define como um consumidor que faz vinhos. E em tempos em que abundam enólogos do arquétipo “Rock star”, assume um rol antagônico, dando mais valor ao trabalho de enólogo  no vinhedo e na vinícola, sem fotos nem poses. E mostra-se ao mundo tal como é, um cara simples fazendo vinhos complexos.

 

 

Pingue- pongue descontraido

Karim, o que deveria transmitir  esta entrevista?

A verdade e somente a verdade!!

 

Você pode nos dizer alguns “highlights” de sua pessoa?

Um metro e oitenta com plataformas, sagitariano, torcedor do Tomba.

 

Idade?

43 mais imposto incluído.

 

Onde você estudou? 

Liceo Agricola e Faculdade de Engenharia.

 

 Que vinícola assessora? 

Atualmente só Alpasion.

 

Amp e Altocedro são de…?

Do mesmo Karim e seus sócios

 

Qual é o espirito de seus  vinhos?

Liberdade, identidade, balance e elegância, com muita capacidade de envelhecimento.

 

Qual é a sua variedade favorita? …( Bom penso em vinho porque é o que elabora mas, quem sabe, prefere uma  gelada… sei lá)

Nenhuma variedade favorita, prefiro os blends e adoro uma gelada, o whisky, o pisco, o conhaque, e todo álcool de boa qualidade que dá tontura.

 

Você quer aproveitar a entrevista e compartilhar alguma novidade?

O Lançamento da  Bodega Alandes, os Paradoux Blends (tinto e branco), além do Alandes Malbec, Vale de Uco

 

Alguma outra coisa para acrescentar?

“Gracias Totales!”